teste
publicidade

Aplicativo E-Título da Justiça Eleitoral permite versão digital do documento ao eleitor

A Justiça Eleitoral lançou no final do ano passado o aplicativo “E-Título”, que permite aos eleitores acessarem uma via digital do título eleitoral por meio do smartphone ou tablet. No aspecto sustentável, o E-Título surgiu como alternativa à emissão de títulos eleitorais em papel e traz ainda economia perceptível na redução dos custos da Justiça
Redação
08 maio 2018
Compartilhe
WhatsApp WhatsApp WhatsApp
Comente
Publicidade do Site

Para acessar o documento digital, o eleitor deve baixar o aplicativo E-Título, que está disponível no Google Play e na App Store.

A Justiça Eleitoral lançou no final do ano passado o aplicativo “E-Título”, que permite aos eleitores acessarem uma via digital do título eleitoral por meio do smartphone ou tablet.

No aspecto sustentável, o E-Título surgiu como alternativa à emissão de títulos eleitorais em papel e traz ainda economia perceptível na redução dos custos da Justiça Eleitoral como a emissão de segundas vias dos títulos extraviados, suprimentos de impressora, entre outros. Para o eleitor, o benefício é a facilidade de ter os dados eleitorais sempre seguros e disponíveis, diminuindo os riscos de extravios e danos ao título de eleitor.

O E-Título também foi implantado no contexto da implementação da Identificação Civil Nacional (ICN), documento a ser lançado em breve no país, que unifica a base de identificação dos brasileiros e que também terá a versão digital.

Como funciona

Para acessar o documento digital, o eleitor deve baixar o aplicativo E-Título, que está disponível no Google Play e na App Store. Ao inserir no aplicativo o número do título eleitoral, nome, nome da mãe e do pai e a data de nascimento, o E-Título é validado e liberado. Ao ser acessado pela primeira vez, o documento é gravado localmente e ficará disponível ao eleitor para visualizações futuras.

A versão digital do título traz novidades em relação à via tradicional impressa. O documento tem a foto do eleitor para identificá-lo na hora da votação. Contudo, essa possibilidade vale apenas para aqueles eleitores que já fizeram o recadastramento biométrico, momento em que é capturada uma foto do cidadão junto com as impressões digitais.

No entanto, não há nada que impeça que os eleitores que ainda não fizeram o recadastramento biométrico baixem o aplicativo para usar no dia da eleição, porém terão de apresentar documento de identificação com foto.

O E-Título reúne ainda informações sobre quitação eleitoral, local de votação, zona, seção, e, inclusive, um QR Code que pode ser utilizado para validação dessa informação fornecida pela Justiça Eleitoral.

Deixe o seu comentário!

Rádio Mais FM